sábado, 21 de junho de 2008

Onde se encontra o que a cidade esconde?


Na Casa das Rosas. No próximo sábado, dia 21 de junho, às 18 horas, com entrada franca, acontecerá o primeiro encontro do Projeto Cidade Poesia, iniciativa idealizada pelo poeta paulistano César Silveira e produzido pela poeta carioca Fabiana Motroni. O objetivo é promover o encontro da multiplicidade de criaturas culturais que coabitam o espaço-tempo da cidade de São Paulo. Poetas, prosadores, músicos, compositores, cineastas, atores, artistas, ilustres e anônimos das mais diversas vertentes culturais, que se estabelecem de forma plural nesta urbe. Coadjuvantes do mesmo dia-a-dia da cidade, é a partir dessa interação que passam a ser protagonistas das suas criações artísticas, singulares e pessoais.

O espaço escolhido para projeto foi a Casa das Rosas, pela sua vocação, e por ter se transformado nos últimos anos no ponto de encontro da literatura e de todo universo de arte que interage com as vertentes da poesia. Além disso, sua localização privilegiada na Avenida Paulista funciona como catalizador geográfico para o projeto.

No encontro do dia 21 de junho, poesia, prosa, música e performance darão conta da expressão poética do evento, que contará com a participação de alguns convidados, que já confirmaram presença.

O Projeto Cidade Poesia terá as seguintes digitais:
Alex Menezes, Américo Bittar, André Bandim, Andrea Del Fuego, Ana Ruschë, Beatriz Galvão, Berimba de Jesus, Caco Pontes, Carvalho de Azevedo, César Silveira, Claudio Daniel, Coletivo Happening Pictórico, Fabiana Motroni, Gabriela Cuzzuol, geO, Greco Cruz, Ivan Antunes, Lucia Helena Correia, Marina Fama, May Monção, Mavot Sirc, Neusa Pommer, Paulo Zeminian, Pedro Tostes, Rui Mascarenhas, Rafael Iasi, Rogério Arvate, Solange Mazzeto, Tata Muchacha e Vitória Paterna.



Preço: ENTRADA FRANCA.
Data: sábado, 21 de junho de 2008.
Horário: 18:00 horas.
Duração: 150 minutos.
Local: Casa Das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Literatura e Poesia.
Av. Paulista nº 37 (prox. Metrô Brigadeiro).
Estacionamento Conveniado: Alameda Santos, 74 (R$ 8,00) – retirar selo de desconto na recepção.
Telefones: (11) 3285-6986 / (11) 3251-5271

Informações:
cidadepoesia@gmail.com
www.cidadepoesia.blogspot.com

www.apaacultural.org.br/casadasrosas

Casa das Rosas



A Casa das Rosas foi projetada no final da década de 20 pelo arquiteto Ramos de Azevedo para ser a residência da sua filha Lúcia, recém casada com o engenheiro Ernesto Dias de Castro.

Ramos de Azevedo não chegou a ver o projeto concluído, pois faleceu em 12 de junho de 1928 e a construção só ficou pronta sete anos mais tarde, sendo assinada por Felisberto Ranzini.

Durante 51 anos, residiram sua filha, Lucia Ramos de Azevedo e seu marido, Ernesto Dias de Castro e, mais tarde, Ernesto Dias de Castro Filho e sua esposa, Anna Rosa.

Construída numa área de 5.500 metros quadrados, a Casa possui 30 cômodos no estilo arquitetônico francês, além um enorme vitral colorido, que decora o hall de entrada. Seus pavimentos se dividem em térreo, mansarda, primeiro andar e porão. A atração do espaço é o jardim, inspirado do Palácio de Versalhes, que abriga o famoso roseiral, origem do nome da casa.

Habitada até 1986, a mansão foi desapropriada pelo Governo do Estado quando, o CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), tombou o local no dia 22 de outubro de 1985. A Casa passou cinco anos, de 1986 até 1991, sendo restaurada. Em 11 de março de 1991, a Secretaria de Estado da Cultura inaugurou o espaço cultural conhecido por Casa das Rosas – Galeria Estadual de Arte, que exibia mostras temporárias de obras do acervo artístico do Estado, divulgando as iniciativas da rede estadual de Museus e do Departamento de Museus e Arquivos. Em março de 2003 a casa foi fechada para reformas.

Em 09 de dezembro de 2004, a Casa das Rosas foi reinaugurada com nova vocação: o primeiro espaço público do país destinado à poesia, nomeado de Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, abrigando o acervo de cerca de 30 mil volumes da biblioteca do poeta, tradutor e ensaísta Haroldo de Campos (1929-2003). A atribuição desta nova vocação à Casa das Rosas tem se revelado um grande acerto: uma biblioteca circulante especializada em poesia, cursos bimestrais, exposições, peças de teatro, lançamentos de livros, palestras, eventos musicais. A Casa tem a direção do professor e poeta Frederico Barbosa, que idealizou o Espaço Haroldo de Campos de Poesia e literatura como um local democrático de reflexão sobre a literatura e de divulgação da quase sempre esquecida arte da poesia.



Ampliar


Fonte: Associação Paulista dos Amigos da Arte
http://www.apaacultural.org.br/casadasrosas/

e-Flyer

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Paulo Zeminian e o Coletivo Happening Pictórico

O coletivo Happening Pictórico propõe a criação coletiva de imagens projetadas utilizando novas tecnologias e tem como proposta refletir sobre processos de interrelações de espaços híbridos por meio de intervenções multimídia.
O modo de organização inicia-se com a parceria de Fabiana Mitsue Najima e Paulo Zeminian e aglutina convidados como artistas plásticos, performers, músicos, pesquisadores e técnicos, de acordo com o projeto a ser realizado.


Residimos e trabalhamos em São Paulo/SP. Nosso coletivo participa da rede CORO – Coletivos e Ocupação em Rede desde sua formação, através de eventos colaborativos como o Fórum Mundial Cultural – Sesc/SP(2004), 9º Bienal deHavana – Cuba(2006) e exposição 'Percursos' no Museu Brasileiro da Escultura(2007).

http://happeningpictorico.blogspot.com/

Gabriela Cuzzuol

Jornalista e Editora, Gabriela Cuzzuol tem formação em Comunicação e Literatura Inglesa e está em processo de conclusão de pós em Jornalismo Cultural, pela PUC de São Paulo.

Profissionalmente, editora livros da Editora Scandar e colaboradora como parecerista da Ediouro Publicações Ltda.

“Por paixão descontrolada e desenfreada”, dá uma de poeta e prosadora, tendo por mais de dois anos, freqüentado cursos na CASA DAS ROSAS (SP) e outras “bandas”.

Escreve “desde sempre” e tem artigos publicados em veículos como Veja, Língua Portuguesa, na americanaRobb Report, e na inglesa Jungle Drums, além de inúmeros sites e jornais.

“Nessa de escrever”, ganhou o prêmio IBest 2002, como editora de um website de música.

Entre outros vícios: música, viagens, chocolate, “conversa fora” e livros, provavelmente antes de todos os outros...
E-mail: gabriela@editorascandar.com.br

www.homeofbrave.blogspot.com

May Monção


May Monção é da área de letras e trabalha como editora de texto para a Companhia das Letras e Editora Scipione, principalmente. Publicou sua tese de mestrado, Gilgamesh: uma proposta de tradução comentada, após ter ganho um concurso de tradução em SP e recentemente dividiu a autoria em Cidadania e interculturalismo, para a Editora Pearson. É professora da FMU (SP) em edição de textos e tendências do design contemporâneo. Na área teatral, estudou com Antunes Filho (SESC-SP) e Sabina Calvesi, do grupo Itinera (Roma, Itália), e escreve performances baseadas em filmes, caso de Veludo azul, de David Lynch, ou design gráfico, com Paulo Zaminian.

sábado, 14 de junho de 2008

Lucia Helena Corrêa (LHC)


LUCIA HELENA CORRÊA (LHC) nasceu em maio de 1949, no subúrbio carioca de Vaz Lobo. Graduada pela Escola de Comunicação (ECA) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Jornalismo Gráfico e Audiovisual e curso de doutorado em Lingüística/Ciência da Comunicação pela Universidade de São Paulo, cultiva uma grande paixão: o jornalismo, espécie de sacerdócio. Mais de 30 anos de profissão, nem pensa na aposentadoria. Mas, com o sangue do tetravô, Joaquim Antônio da Silva Callado (o pai do chorinho), correndo nas veias, em 2004, ligada ao Clube Caiubi de Compositores, acabou se entregando a uma outra grande paixão: a música. A favor dela conspira a voz de contralto, grave, meio rouca, que se ajusta ao tipo de música que mais gosta de cantar: romântica. Mas, também, a alma de poeta. Muitas vezes premiada, LHC é autora, entre outros, do livro "Cebola crua", editado em 1989, pela Editora SJS, São Paulo. E usa a poesia como ferramenta para compor letras, muitas delas já musicadas por diferentes parceiros.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

ABittar


ABittar, escreve desde os 14 anos de idade. É radialista. Diretor de imagens na Rede Gazeta de Televisão - Canal 11 São Paulo . Autor de Letras de música . Participa de algumas antólogias como a do Lista de Escritas. Escritas 3 e 5.





Mantém um blogger de poesia atualizado na internet - http://bittarpoetadosgrilos.weblogger.net.


http://bittarpoetadosgrilos.weblogger.net
http://www.lunaeamigos.com.br/bittar/bittar/.htm
http://bittarpoeta.zip.net
http://bittarpoetadosgrilos.blogspot.com/atom.xml
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/bittarpoeta

Andréa Del Fuego

Andréa del Fuego nasceu em São Paulo, em 1975. É autora da trilogia de contos Minto enquanto posso (O Nome da Rosa, 2004), Nego tudo (Fina Flor, 2005) e Engano seu (O Nome da Ros, 2007, projeto contemplado com a bolsa de incentivo à criação literária da Secretaria do Estado de São Paulo) e do romance juvenil Sociedade da Caveira de Cristal (Scipione, 2008); integra as antologias: Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século (Ateliê Editorial, 2004), Fábulas da Mercearia (Ciência do Acidente, 2004), 30 Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura Brasileira (Editora Record, 2005), 35 Segredos Para Chegar a Lugar Nenhum (Bertrand, 2007), Capitu mandou flores (Geração Editorial, 2008), entre outras. Mantém o blog www.delfuego.zip.net.

César Silveira

"...minha poesia está na observação da quebra de ciclo do previsível...".
César Silveira



César Silveira - César Augusto Magalhães da Silveira, nasceu em 1979, é Paulistano, poeta, agitador cultural, profissional de comunicação & marketing especializado em mídia interativa e relações com clientes, motivador, palestrante, tradutor e atua como Consultor Empresarial. Tem publicados: Verso e Palavra (Edição Artesanal + Ebook, 2004) distribuido gratuitamente duranre a semana do evento "Prosa, poesia e vice-versa" realizado em 2005 no Sesc Consolação(SP) e Prelúdio (Edição Artesanal, 2005), Escritos reunidos e outros desasuntos (Edição do autor - tiragem limitada, 2006) este que em breve terá nova tiragem, é uma pequena compilação que reúne seus poemas publicados em jornais, revistas, e-books, blogs e sites. A nova edição contará com a inclusão poemas inéditos. Acabou de escrever o inédito 'Poligonia Urbana' a ser publicado em 2009. Além da poesia a música tem forte influencia nas referência deste jovem poeta, tem algumas parcerias como compositor e letrista. Já organizou eventos para Virada Cultural de São Paulo e frequentemente participa de atividades culturais e sociopolíticas, dentre eles: Grupo de criação Rascunhos Poéticos, Sarau Sopa de Letrinhas, Rave Cultural, etc. Em parceria com a poeta Fabiana Motroni idealizou o Projeto Cidade Poesia. Aprendeu a gostar de literatura - especialmente a poesia - ainda criança por influencia de sua avó. Tem poemas publicados em diversos sites revistas, jornais, etc. Os principais são o site da editora blocos, jornal de poesia, o casulo, site do projeto identidade, companhia da poesia (portugal), revista caqui (Haikais), correio das artes e A união - jornal da imprensa oficial da Paraíba, dentre muitos outros. Além disso tem artigos sobre comunicação empresarial publicados em sites e períodicos corporativos. Em artigo publicado pela escritora Silvia Araujo Motta, é considerado um dos questionadores sobre a construção poética e temática do Haikai, havendo referência sobre sua poesia na enciclopédia online Tio San. Alguns de seus poemas constam no site do ministério da cultura da Austrália como referência da nova poesia contemporânea, para estudantes de língua portuguesa. Recentemente foi listado no diretório de literatura do site alemão: Entertainment Seiten 24, como promissor talento da literatura latino americana.

E-mail: cesar.consultant@gmail.com

Veja o vídeo e conheça um pouco mais sobre César silveira:



Claudio Daniel


Claudio Daniel, pseudônimo de Claudio Alexandre de Barros Teixeira, é poeta, tradutor e ensaísta. Nasceu em 1962, em São Paulo (SP), Brasil, onde se formou em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. Atualmente, faz mestrado em Literatura Portuguesa na Universidade de São Paulo (USP).

Publicou os livros de poesia Sutra (edição do autor, 1992), Yumê (Ciência do Acidente, 1999), A sombra do leopardo (Azougue Editorial, 2001, vencedor do prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira, oferecido pela revista CULT) e Figuras Metálicas (Perspectiva, 2005), e o de contos Romanceiro de Dona Virgo (Lamparina, 2004).

Publicou também a antologia Na Virada do Século, Poesia de Invenção no Brasil (Landy, 2002), em co-autoria com Frederico Barbosa, Jardim de Camaleões, A Poesia Neobarroca na América Latina (Iluminuras, 2004) e Ovi-Sungo, Treze Poetas de Angola (2007), entre outros livros.

É editor da revista eletrônica de poesia e debates Zunái (www.revistazunai.com.br), conselheiro editorial das revistas Coyote e Et Cetera e mantém o blog Cantar a Pele de Lontra (http://cantarapeledelontra.zip.net).

E-mail: claudio.dan@gmail.com

Mavot Sirc

Mavot Sirc, poeta, escritor da Cooperifa e participade de saraus e outros eventos culturais, tais como: Belô Poético, Psiu Poético e Abril Poético, dentre outros. Atuando efetivamente na cidade de São Paulo.
Mavot Sirc é o pseudônimo artístico de Cristovam Martins, poeta popular. É nascido na cidade mineira de Boa Esperança. Ainda na infância transferiu-se com a família para São Paulo. Eclético, Cristovam se auto-intitula "fã nº 01 de Pink Floyd", nos anos 70 foi ativista do movimento anarcopunk. Sem renunciar ao lado rockeiro, sonhou em tornar-se padre nos anos 80 após experiências gratificantes em movimentos de juventude católica, passando por institutos religiosos em Santa Catarina e São Paulo. Não concluiu a faculdade de filosofia, mas foi lá que teve a oportunidade de participar de seus primeiros concursos literários.
Artista inovador e produtor cultural, nos anos 90 participou da extinta banda de hard rock "Bando Central", não como músico, mas introduzindo elementos exóticos nas apresentações como declamações dramatizadas de seus poemas e números de dança do ventre, recebendo elogios de Marcelo Nova, ex-parceiro de Raul Seixas.
Após a dissolução do Bando Central, Cristovam focou seu trabalho em movimentos populares de cultura. Hoje atua junto à Cooperifa, Cooperativa Cultural da Periferia na zona sul paulistana, participando de muitos projetos interessantes, com destaque para a publicação do livreto/CD "Sarau da Cooperifa", coletânea de 26 obras com artistas populares diversos, patrocinada pelo Itaú Cultural.

e-mail:mavotsirc@ig.com.br

Marina Fama


Marina Fama, paulista nascida na cidade de Tarabai. Após morar em outras cidades do interior, veio pra São Paulo na adolescência. Bacharel em direito. Morou em Olinda(PE) e Campo Grande(MS). Voltando pra São Paulo em 2000. Sempre convivendo com duas paixões: a música e a poesia. Extraindo daí suas composições. Já participou de festivais, tocou em bares e outras atividades culturais, por onde passou. Em 2007, teve participações em saraus, entre outros, na Casa das Rosas e na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, nesta, com poemas interpretados por Neusa Pommer.
e-mail: marinafama@gmail.com



Assista o Vídeo Abaixo e conheça um pocuo mais sobre a musicalidade poética de Marina Fama.


Rogério Arvate


O escritor, precisa sim, fazer de sua literatura, uma expressão do meio em que vive e se relaciona. Sua função, é captar o anseio do povo. Traduzindo-o sob seu olhar. Rogério lançará no dia 8 de julho, na Casa das Rosas “A Necropsia do Direito”. Um Manifesto Político Literário pela Justiça, premiado pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Ivan Antunes


Ivan de Azevedo Antunes, estudante de Letras-USP, responsável pelo projeto "As treze visões do Largo Treze de Maio" premiado pelo VAI em 2008. Realiza atividades culturais na Casa Amarela em Santo Amaro, co-fundador do coletivo Vacamarela grupo resposável pela realização da FLAP!, um dos articuladores do Sarauê.

www.otatubola.blogspot.com
ivanantunescorrea@yahoo.com.br

André Bandim

André Bandim nasceu no Recife, em Pernambuco, em 1984. Escreve para viver e vive para, entre tantas outras coisas, escrever. É graduado em Jornalismo, pós-graduado em Marketing Digital e trabalha como redator publicitário. Além de contos e poemas não publicados, solta o verbo em crônicas, no Caixa Alta (http://caixaalta.blogspot.com). Em geral, procura compensar a acidez das palavras com a franqueza de alguns sorrisos.

e-mail - andrebandim@gmail.com
blog - http://caixaalta.blogspot.com

Greco Cruz


Greco Cruz nasceu em 1965, é paranaense, cantor, compositor, violonista, guitarrista, tecladista, produtor musical e escritor. Está com um trabalho de Nova MPB que leva o título 'Acorda pra Viver', onde mostra o seu lado de intérprete e compositor. Suas músicas são uma fusão entre Mpb, Pop, Rock, Jazz e funk. Como escritor se empenha na composição de dois livros: um curso completo de guitarra e outro sobre a influência da música no ser humano.


e-mail: assessoria@grecocruz.com.br
www.grecocruz.com.br



Rui Mascarenhas


RUI MASCARENHAS nasceu em Salvador, às margens do caldeirão da Bahia de Todos os Santos, de todas as diversidades. Em 2007 publicou seu livro “MEIOHOMEM - Eternidade, Meu Canto Que Fica!”, poemas com intensa musicalidade; o poeta vem marcando presença em diversos eventos culturais com sua cantada forte, onde o espírito se revela eterno, diluindo toda matéria em torno de si.

E-mail: uivo@uol.com.br
http://meiohomem.blogspot.com

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Neusa Pommer

Neusa Pommer, paulista, nasceu no município de Leme. Fez curso de Letras em Campinas-S.P.; especialização na USP e cursos na França e no Canadá. O amor às artes música e poesia, em especial tem permeado sua vida. Participações:
Coral São Luís (maestro Roberto Rodrigues); - interpretação de poemas de Marina Fama e de Frederico Barbosa, em sarau da Bilblioteca Alceu A. Lima e na Casa das Rosas. Integrante do Grupo Miscelanealiteraria, começa a divulgar suas próprias composições poéticas.

Alex Menezes

Nascido em Jaboatão dos Guararapes há 35 anos, Alex Bezerra de Menezes é formado em Direito pela Universidade Cidade de São Paulo e atualmente dá consultoria na área jurídica-imobiliária. Na primaverda de 2006 lança o livro de contos “INCANDESCENCIAS” pela editora Scortecci, que vendeu até agora cerca de 800 exemplares.

Escreve cerca de 350 artigos por ano no endereço:

http://alexmenezes.zip.net

Tornou-se especialista na vida e obra de Machado de Assis, escreveu sobre o autor uma peça que foi encenada em 2006 com o apoio da Prefeitura de São Paulo. Atualmente o escritor dá palestras em univesidades, centros culturais e livrarias sobre o centenário de morte do escritor carioca intitulada “MACHADO DE ASSIS: UM SÉCULO DE PRESENÇA”.

Vitória Paterna

O nome Vitória Paterna se repete há várias gerações, mantendo a tradição da família, de origem siciliana, em que a primeira filha deverá herdá-lo da avó. Andreense, mãe de dois filhos, professora e uma vontade tardia de escrever. Inicialmente, coloca suas poesias no Orkut, em que foi convidada para participar do livro "Antologia dos poetas virtuais". Hoje, publica no "Recanto das Letras", faz parte do grupo virtual "Luna e Amigos", é membro dos "Poetas de Mauá" e participa de saraus, entre eles o "Sopa de Letrinhas".

Rafael Iasi


Rafael Iasi, cantor e compositor paulistano.
Em 2006 lançou seu single: " Onde isso vai parar?" , uma musica
que fala das desigualdades sociais das grandes metropoles.
Há 6 anos participa do clube caiubi de compositores e agora esta
preparando seu primeiro cd...

Beatriz Galvão


Beatriz Galvão é apenas uma fração do todo: Beatriz Amaral Galvão de França Andrade. Costuma brincar que tem todo o modernismo de 22 em seu nome: Amaral de Tarsila; Galvão de Patrícia (Pagu); Andrade de Mário, de Oswald, de Drummond.


Nascida em 1980 no Estado de São Paulo, cidade de São Paulo, maternidade de São Paulo, fez de tudo para se livrar do fervilhar ad infinitum paulistano. Inutilmente. Para contrariar o fato de que não é uma árvore, esta sagitariana com ascendente em leão sempre acaba voltando às suas raízes, seja através do trabalho, seja através da Universidade (que também é de São Paulo – USP), seja através de sua poesia. O sangue pulsa mais forte quando está aqui. Mesmo que contrariada. Mas as paixões não são mesmo assim?


Escritora, editora, ex-atriz, feminista e libertária.

Com reticências e exclamações esta paulistana pleonástica adora, principalmente, fazer e promover arte.

Acabou de organizar o inédito Bliss ET Blues, a ser publicado em 2009, e que reúne contos curtos, poemas e crônicas, publicados em blogs, sites, diversos e afins. Em 2009 também deverá retomar seu ambicioso projeto Cimento Fresco, em parceria com a Casa das Rosas. E, assim, ela vai ficando...


Poeta desde os 11 anos, ela um dia ainda há de alcançar a poesia.

Também se atreve nas crônicas literárias. Mas não rotule.

Como já disse Mia Couto, uma de suas paixões descabidas: “Sou como a palavra. Minha grandeza é onde nunca toquei.”


Formanda em Letras pela USP, atua no mercado editorial desde 2003. E, em 1º de maio de 2004, em pleno dia do trabalhador e da Grande Mãe pagã, Beatriz monta, com seu pai e atual sócio, a Ourivesaria da Palavra Editora, que nasce da necessidade de somar novos olhares e novas discussões ao fértil terreno artístico cultural contemporâneo.


Mantém o blog Por um Triz! há alguns anos:

http://beatrizgalvao.wordpress.com/



http://umtriz.blogspot.com/

http://carotidas.zip.net/

http://www.secrel.com.br/jpoesia/beatrizandrade.html

http://www.usinadeletras.com.br/


E-mail: beegalvao@gmail.com

Fotos 1º encontro